07/01/2014

janela do tempo

janela do tempo by Odete de Paula
janela do tempo, a photo by Odete de Paula on Flickr.

Debruçando no meu próprio ser,
olho para o grande horizonte.
Percebo o meu interior transfigurado
pelas lutas, os acontecimentos, as experiências, o aprendizado.
Vejo a fragmentação do tempo,
sinto profunda fadiga da vida,
que se apodera das pessoas de minha idade.
Há resistências, lutas, recolhimento e resignação.
No caminho da existência sou a própria janela.
A história do que fui e sou, flui,
os tabus se quebram,
alargam os espaços, venço o tempo,
sou o primeiro a descobrir
que não se é a pessoa que se pensa ser.
Neste processo, acabo sabendo quem eu sou,
é o que eu quero ser.
Dessa ambigüidade subjetiva,
consigo resgatar e assumir
com coragem a titularidade da vida, a eternidade.
_ Maury Rodrigues da Cruz - do livro "Recomeçando"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário

é primavera!

Primavera não é uma simples estação de flores, é muito mais, é um colorido da alma. - Jaak Bosmans -